Minha declaração de auto estima

Oiii…

Veja o trecho  abaixo. Esse trecho foi escrito em resposta à pergunta de uma garota de 15 anos:

img_5382

“Como posso me preparar para uma vida de plena satisfação?”

Sou eu mesma.

No mundo inteiro, não há ninguém mais exatamente como eu. Há pessoas que possuem algumas partes que eu também possuo, mas o todo nunca é exatamente igual ao meu. Portanto, tudo que vem de mim é autenticamente meu, porque eu o escolhi sozinha.

Sou dona de tudo o que diz respeito a mim — meu corpo, inclusive tudo o que ele faz; minha mente, inclusive todos os meus pensamentos e ideias; meus olhos, inclusive as imagens de tudo o que eles contemplam; meus sentimentos, independente de quais sejam — raiva, alegria, frustração, amor, desapontamento, excitação; minha boca e todas as palavras que saem dela — gentis, doces ou rudes, corretas ou incorretas; minha voz, estridente ou suave; e todas as minhas ações, sejam elas para os outros ou para mim mesma.

Possuo minhas próprias fantasias, meus sonhos, minhas esperanças, meus medos.

Possuo todos os meus triunfos e sucessos, todos os meus fracassos e erros.

Uma vez que sou dona de tudo em mim, posso me conhecer intimamente. Assim fazendo, posso me amar e ser amigável com todas as minhas partes. E então possibilitar que todo o meu eu trabalhe em favor dos meus maiores interesses.

Sei que há aspectos em mim que me confundem, e outros que não conheço. Mas desde que seja cordial e bondosa comigo mesma, posso corajosa e esperançosamente procurar soluções para os problemas, e meios para descobrir mais a meu respeito.

Seja lá com o que pareça ou como soe, o que eu diga ou faça e o que eu pense ou como me sinta em determinado momento no tempo, sou eu. Isso é autêntico e representa onde estou naquele momento no tempo.

Revendo mais tarde aquilo com que pareci e como soei, o que eu disse ou fiz, e o que pensei e como me senti, algumas partes talvez pareçam desajustadas. Posso descartar o que é desajustado e manter o que se encaixa, e inventar algo novo para o que eu descartei.

Posso ver, sentir, pensar, dizer e fazer. Tenho as ferramentas para sobreviver, para estar próxima dos outros, para ser produtiva, para dar sentido e organizar o mundo de coisas e pessoas fora de mim.

Sou dona de mim e, portanto, posso me planejar.

Sou eu mesma e estou bem.

No livro: Canja de galinha para a alma – livro esgotado
Jack Canfield e Mark Victor Hansen

Que tal também lhe fazer esta pergunta?

“Como posso me preparar para uma vida de plena satisfação?”

Deixo o desejo de uma resposta positiva e motivadora

Abraço

cropped-flavicon1.png

Daiane Silveira


Compartilhe com amigos



Comentários Desativados


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0