Tempos de serenidade…

É possível retomar o ritmo da sabedoria e se posicionar na vida com um pouco menos de inquietação e um pouco mais de tranquilidade e centramento.

São as qualidades da paciência.

Olá! O quanto paciente você tem sido com você e com o caminhar pela vida?

Nos dias atuais com tanta tecnologia costumamos obter respostas e estímulos imediatos  através de e-mails, celulares, sendo capaz de nos tirar do eixo. Pode ser difícil acreditar que a humanidade já se comunicou por correspondências transportadas por navios e outros meios diferentes. Não digo que foram dias melhores, mas com outra forma de vivenciar as experiências. Era necessário esperar.

O imediatismo ao meu ver tem tomado conta de nós, tanto para os resultados quanto para a forma de experimentar a vida. A impaciência surge quando não há objetividade ou ainda quando os desejos não são satisfeitos e muitas vezes  na cobrança de outros – um imprevisto surge ou uma pessoa lhe faz uma cobrança desmedida, uma crítica precipitada. Quando se respeita o tempo das coisas, e em especial, quando você consegue acatar o seu próprio tempo, é natural reagir com serenidade e compaixão para com o outro e  para consigo mesmo. É possível tirar o ego do embate e observar cada situação com inteligência e sensibilidade.

Paciência é portanto a forma de se posicionar diante da vida, um exercício constante de boa vontade e de generosidade. Uma vez ou outra, pode se deslocar deste eixo, mas é possível deter a ansiedade e retomar rapidinho ao equilíbrio:  paciência se aprende.

Precisamos cuidar do estilo de vida e observarmos como estamos guiando nossa rotina diária e onde queremos chegar.  Do modo como vivemos hoje, somos impulsionados a dar respostas rápidas e a tecnologia, que poderia nos proporcionar tempo para cuidar também de nossa essência, tornou-se uma fonte de cobranças cada vez mais constantes. Pelo celular ou  via internet, o trabalho encontra você onde quer que esteja, mesmo em dias ou horários inoportunos.

A serenidade exige um equilíbrio entre demandas externas – trabalhar, relacionar-se, ganhar dinheiro e as necessidades internas – relaxar, contemplar, sentir e conhecer-se.

Permanecer integralmente no  presente sempre foi um dos pilares das sabedorias orientais. As mudanças de comportamento não precisam ser imediatas,  mas precisam iniciar e se manter.

Como você tem reagido diante do tempo das coisas? Como tem se percebido na vivência de suas experiências em busca de resultados? Sua forma de lidar com a realização de suas tarefas tem sido saudável ou conflituosa?

E agora…o que pode fazer de imediato, no momento presente para mudar a forma desgastante de agir? O quanto paciente tem sido diante dos fatos e do curso de sua vida?

Estas respostas estão dentro de você…Experimente!!!

Desejo um excelente dia e uma saudável reflexão

Forte abraço

Daiane Silveira


COMPARTILHE COM AMIGOS



Comentários Desativados