Dificuldades em relacionamento interpessoal?

“Tem gente que é mais complicada que dobrar lençol de elástico.”

Você se considera uma pessoa de fácil relacionamento?

Quais os aspectos que você acredita que precisa melhorar e as habilidades comportamentais que precisa desenvolver para ter relações interpessoais mais felizes, duradouras e gratificantes?

Relacionar consigo mesmo muitas vezes pode ser difícil, dependendo do grau de autoconhecimento, de nossa maturidade emocional e da capacidade de compreensão de si e do outro. Cada ser humano tem sua forma particular de agir e entender os fatos, de lidar com suas emoções, sendo atravessado por uma história de vida, cultura e modelos sociais que geraram uma subjetividade, uma maneira única de perceber e avaliar os ambientes, os contextos e de fazer leituras fenomenológicas dos acontecimentos e das pessoas. Enfim, cada um faz uma leitura da realidade de maneira altamente personalizada.

Agora imaginem quando a questão é relacionar-se com o outro; esta complexidade aumenta, já que todos temos nossas convicções e portanto sendo necessário desenvolvermos determinadas habilidades e competências que possam garantir um convívio saudável e enriquecedor no aspecto relacional, tais como a empatia, o respeito e a aceitação do outro. Neste contexto entra em jogo também a questão do acolhimento do ser na sua individualidade e na sua integridade, não podendo nos esquecer dos critérios dos limites, estes necessários para estabelecermos o ponto de equilíbrio do que queremos e precisamos compartilhar com o outro, seja no aspecto físico ou simbólico.

Como lidar com relacionamentos interpessoais difíceis?

Não existe uma receita pronta quando se fala em relacionamentos. mas é possível observar nosso comportamento diante de alguns pontos. Veja abaixo:

1- Manter o diálogo: O diálogo… ufa!!! Este talvez seja o ponto mais importante para ser observado. Como conviver com pessoas sem o diálogo? É através dele que entendemos o que o outro precisa, busca e através da troca, das sugestões, das criticas construtivas nos relacionamentos  quando bem direcionadas, geram crescimento e aprendizagem pessoal e relacional. Cultivar o diálogo é muito importante, pois é através dele que um mal entendido pode ser evitado ou compreendido, diante de uma boa conversa.

2- Empatia: Vamos pensar:  Será que o “difícil” é realmente o outro? E’ importante que as pessoas percebam suas posturas e comportamentos para que verifiquem a possível necessidade de mudanças.  A empatia é imprescindível neste processo, colocando-se no lugar do outro. Deixando que por aquele instante o outro seja mais importante para que você possa ouvi-lo verdadeiramente, sem ataques ou defesas.

3- Respeito ao ponto de vista do outro: Cada pessoa tem uma percepção única de uma determinada situação, fazendo um recorte específico da realidade, a partir de sua subjetividade, não tendo a capacidade de visualizar e perceber o fenômeno em sua totalidade. Sendo assim, se um percebe de um jeito e o outro percebe de outro, não quer dizer que os dois estejam certos ou errados. Quer dizer que ambos verificaram aspectos distintos em um momento especifico, fazendo uma leitura diferenciada.  As diferenças devem sempre ser motivo de crescimento e nunca de separação. O importante é encontrar o equilíbrio para que a solução seja saudável para todos.

4- Regras de conduta e ética: Toda e qualquer sociedade apresenta o seu sistema de valores, condutas e normas sociais, as quais são legitimadas no próprio convívio social. Aquele que foge ou se desvia do padrão estabelecido no “contrato social” é colocado à margem. Isto acontece porque sem regras de conduta os relacionamentos se desorganizam. O quanto ético tem sido em suas relações?

5- Saber escutar:  A arte de escutar é a base de todo diálogo e consequentemente para o sucesso em todo convívio. Escutar não é o mesmo que ouvir; a escuta demonstra interesse, envolvimento. A partir desta conduta de escuta e diálogo evitamos conflitos e viabilizamos o desenvolvimento de outros valores como companheirismo, aceitação e tolerância. Infelizmente, na maior parte das vezes, o relacionamento tornou-se inviável pelo alto grau de toxidade que foi desenvolvido. Neste caso, o melhor a fazer é dar uma pausa, a fim de criar novas perspectivas de reaproximação em um momento próximo.

Dentre os cinco pontos acima, quais você acredita que estão bem? E Quais precisam de uma atenção especial? O relacionamento interpessoal está intrinsecamente ligado ao relacionamento que temos conosco. Se temos um nível de aceitação, tolerância, zelo e carinho, o mesmo será refletido em nossos relacionamentos. É muito importante estabelecer limites claros e transparência para que a comunicação seja produtiva e alcance o equilíbrio e encontre soluções viáveis para ambas as partes.

“Para entendermos o outro, precisamos fortalecer a nossa própria personalidade. “(Oscar Wilde)

Desejo um excelente dia e ótimo relacionamento consigo e com os próximos.

Abraço

Daiane Silveira


CONSULTAS TAMBÉM PARA ADULTOS!

 

 

 

 

 

 

 

COMPARTILHE COM AMIGOS!!!

 



Comentários Desativados